Seguidores

sexta-feira, 15 de março de 2013

O cooperador e a Bíblia


Há tempos venho pensando sobre minha relação com a Congregação Cristã, como igreja escolhida para conviver durante minha estadia nesta terra.

Cresci dentro desta igreja, recebi o dom de línguas, aprendi a amar a Deus dentro dela, me batizei e boa parte do meu caráter foi estruturado dentro dela. Aprendi nela a ser grato a Deus, a amar meus irmãos, a respeitar os mais velhos. Tentei aprender a música, mas não tive real interesse. Fui auxiliar de jovens por cerca de sete anos. Casei com uma moça também da Congregação, fui cooperador de jovens aonde tentei ensinar as crianças e mocidade naquilo que aprendi, sempre ensinando a eles sobre a necessidade da leitura da Bíblia. Fui um cooperador de jovens feliz, pois tentei na melhor maneira desempenhar minha função. Tudo mudou quando fui apresentado cooperador oficial.

Senti o peso em ser cooperador oficial, por ter que ensinar a verdade à igreja que atendo. Me senti responsável pela vida espiritual de uma igreja inteira. Não me conformava em ver muitos irmãos preocupados apenas com suas vidas materiais, outros sem interesse na vida cristã, indo na igreja como muitos vão a clubes ou restaurantes. Do mesmo jeito não me conformava em ver irmãos que por pecados ou fraquezas no passado, amargavam a falta da liberdade nas suas vidas espirituais. Questões começaram a surgir na minha cabeça apenas porque eu não queria errar nos julgamentos. Quando tinha oportunidade perguntava ao ancião responsável pela minha localidade sobre essas perguntas e obtinha respostas vazias, falhas, dúbias e na maioria das vezes sem base bíblica.

Dou graças a Deus que me guiou por caminhos a fim que eu conhecesse a verdade. Deus colocou pessoas, ferramentas, enfim para que finalmente me conduzisse a verdade, que era uma velha companheira minha, desde os tempos de criança, mas nunca havia dado para ela a real importância que ela tem. Para mim ela era difícil de ser entendida, continha nela mistérios que somente com a virtude do Espírito Santo no momento da pregação poderia ser traduzida. Era a Bíblia.

Descobri que as respostas para minhas perguntas estavam na Bíblia! Não era necessário um ancião ou cooperador traduzi-la para mim, mas que em oração eu descobriria que ela não é mítica ou tão difícil assim como parecia ser. Entendi o mistério da graça! Entendi o significado do sacrifício de Cristo na cruz. Entendi quão pecador sou diante de Deus. Achei um tesouro que na verdade estava dentro da minha bolsa por anos, durante minha infância e juventude.

Senti a obrigação de pregar aquilo que tinha entendido para a igreja aonde atendo. No início o entusiasmo me tomava, pregava para todos. Queria que todos entendessem o que havia entendido, que sentissem o que havia sentido, mas infelizmente muitos não entenderam. Uns se viraram contra, até me ameaçando para anciães, outros não entenderam tipo: “bonito isso tudo, mas e então? E a resposta que estou esperando, qual é?”

Graças a Deus sei que vários foram libertos. Já vários me disseram felizes “nunca ninguém me disse isso antes” ou “não sabia que a graça de Cristo era isso”. Vi Deus dar forças para alguns que se sentiam derrotados, vi Deus animar alguns que iam na igreja apenas por ir e hoje confessam que Deus é tudo para eles.

Para mim a Bíblia me avivou. Creio que foi a verdade da Palavra de Deus que é a Bíblia que avivou vários irmãos nesses últimos meses. Porém me encontro triste por saber que a Congregação decidiu não crer que a Bíblia é a Palavra de Deus revelada ao homem, apenas contendo a Palavra.

(...)

Que Deus continue a nos guiar pela Sua Palavra, que é a Bíblia. 

Na paz que Cristo nos concedeu com Deus Pai.

HP

  
(extraído do Blog do Irlandês)

18 comentários:

  1. Que maravilhosa iniciativa!!

    Aqui na minha região o ministério insiste constantemente com a irmandade pra que leiam a Bíblia!

    Percebo que ultimamente o interesse tem aumentado, mas uma maioria não tem essa "despertação" digamos assim. Talvez se houvesse uma escola em que alguém explicasse tudo e não houvesse tanta necessidade de descobrir sozinho (e Deus) o povo se interessaria mais.

    O que importa é que você mudou, muitos outros à sua volta e muitos que conheço também! Já é uma grande coisa!!

    ResponderExcluir
  2. Aproveito à convidar que visitem meu blog também!! Terei imenso prazer na participação de todos.

    http://pergaminhoepincel.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Irmão HP.

    De fato a verdade liberta.

    É notório como Deus pode se utilizar de qualquer um, assim como fez lá com Balaão.

    Certa oportunidade, uma colega de profissão me disse assim: "A igreja é um lugar pra sair, é como uma balada para o jovem, um clube etc (essa pessoa não é crente).

    Isso me marcou muito e me fez refletir sobre minha vida tb naquele momento, apesar de contrariá-la, pois o mundo que se utiliza de fuga, mas...

    Vim de uma outra denominação na qual se dá a real importância que a Bíblia deve ter na vida do cristão, todavia quando vim para a Congregação, mesmo não concordando com sua prática de deixar a Bíblia de lado, eu acabei por preguiça ou costume, abandonar a leitura e meditação nas Escrituras.

    Graças a Deus, assim como o irmão, voltei ao primeiro amor, comecei a me ater aos ensinamentos genuínos de Deus.

    De certa forma, depoimentos, como o do irmão, me animam.

    A necessidade de um Avivamento entre nós é urgente.

    Que Deus continue o abençoando HP, segue nessa força, pois, não é possível que Deus tenha que se utilizar de uma "jumenta" (como minha amiga citada acima - jumenta de conhecimento Bíblico claro) para acordar um cristão que dorme com barulho alheio.

    HP, o irmão é uma raríssima exceção em nosso meio CCB, isso me entristece sobremaneira, mas confio em Deus que continuará levantando homens a transmitir e ensinar o verdadeiro Evangelho a nós já revelado por Ele.

    A Paz irmão HP e demais.

    Claudio (CCB, min Brás, por enquanto).

    ResponderExcluir
  4. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  5. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  6. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  7. Irmã Blossom, amem.


    Que bom que se batizou e está caminhando com Deus, lembre-se sempre Cristo é o caminho.

    Não entendi direito sua dúvida, mas quanto à sua aflição, de fato, primeiramente procure a Deus, leia a Bíblia pois lá tem resposta pra tudo, e tente se relacionar com irmãos e irmãs mais antigos para a ajudarem e auxiliarem nesta jornada, mas tudo com cautela.

    A Paz.

    Claudio (CCB Brás)

    ResponderExcluir
  8. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom.

      Só mais uma coisa, "nessa graça" que é o favor imerecido de Deus pra nós, não confunda placa de igreja ou denominação com a Graça de Deus.

      Acho que no seu caso, ore bastante mas vigie em dobro.

      A Paz.

      Claudio (CCB, min Brás, por enquanto)

      Excluir
  9. Dá uma olhada:

    "Vim de uma outra denominação na qual se dá a real importância que a Bíblia deve ter na vida do cristão..."

    "Claudio (CCB, min Brás, por enquanto)."

    Estranho né?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se ficar pinçando um texto sem o contexto fica estranho mesmo, mas isso é uma prática comum no nosso meio CCB.

      Claudio

      Excluir
    2. "nosso meio?"

      mais estranho ainda!

      Por enquanto... essa é boa! isso não é sem contexto é sem conceito!

      Excluir
  10. deus te abençõe ir peço que ore a deus por mim e meu filho a nossa prova é miiiiiiuito grande que deus foça uma obra com ele

    ResponderExcluir
  11. apdds deus te abençoe ore a deus por mim e meu filho estamos passando por uma prova muito dificil confio no senhor que faça uma obra com ele

    ResponderExcluir
  12. Um relato sobre o comentàrio do dia 3 de Abril de 2013 15:47.que tem por Autor;"Claudio(CCB Mint.Brás por enquanto)".

    O tema è;a Graça de Deus e placa de Igreja,Ele disse;(Sò mais uma coisa,"nessa Graça" que è o favor imerecido de Deus pra nòs,Nâo confunda placa de igreja ou denominaçâo com a Graça de Deus.

    Onde há verdade nisso?,Quando ele afirma que a Graça de Deus nâo è placa de Igreja.

    E onde hà MENTIRA OU MEIAS VERDADES nisso?,Quando o mesmo despreza o nome e a Igreja de Deus,Que de legitima na Fè e Doutrina sò è UMA;Congregaçâo Cristâ no Brasil.

    Essa Obra è revelada,inclusive pra quem nâo sabe,no NOME da placa tambèm,Pra que nâo se confundam com as moedas falsas,visto ser a VERDADEIRA e ponto Final.

    ("Ora,aquele que è Poderoso para vos confirmar segundo o meu Evangelho e a pregaçâo de Jesus Cristo,Conforme a REVELAÇÂO do Mistèrio que desde os tempos eternos ESTEVE OCULTO")Rm.16;25.arc-ibb.

    ResponderExcluir
  13. Irmão cooperador, a Paz de Deus!

    Já vi muitos comentários sobre A Bíblia "ser" a Palavra de Deus ou "conter" a Palavra; quero aqui dar a minha opinião pessoal...

    Não creio que a troca do "ser" por "conter" seja algo preocupante; afinal, não havia Bíblia nos tempos de Paulo e dos apóstolos; a Bíblia sempre foi considerada um livro, e creio que o conteúdo desse livro é a Palavra de Deus; creio que Deus inspirou cada livro, carta, relato; ficaram relatados para no futuro (que pra nós hoje é presente!) desse ao crente esperança, fé, e mostrasse a qualidade dos homens de Deus do passado; ela não foi inventada nos tempos do Senhor; mas o Espírito Santo guiou os homens a juntar pergaminhos, escritos, cartas, e transformar na Bíblia; assim, entendo que ela contém a Palavra de Deus, e isto não a desqualifica nem a desmerece, nem a faz menos importante. Creio que isso virou uma polêmica meio que sem sentido (minha opinião pessoal), se a frase diz que ela é ou que ela contém, não importa; importa que a Congregação continua baseando seus conceitos e doutrinas na Bíblia.

    Também creio que Deus permite estes dilemas (como o irmão está se sentindo) para colocar limite na nossa carne, para não nos gloriarmos de termos descoberto algo que ninguém descobriu; também creio que nada será fácil, que sempre haverá problemas - não me aflijo nem me espanto com os problemas do ministério, da irmandade - porque o Senhor Jesus falou sobre tudo isso; "é inevitável que venham os escândalos"; então não me deixo levar por mais nenhum problema, procuro não esmorecer, seguir adiante, porque na época dos apóstolos também tinha isso - e olha que estavam mais próximos de Cristo, havia muito mais perseguição, mais sinais, mais milagres. E já havia homens cheios de si, arrogantes, presunçosos, que se faziam donos da verdade. Então, tudo isso haverá entre nós. Mas nossa luta, conforme disse o apóstolo, não é conta a carne nem contra o sangue. Está um irmão enfermo na alma, errado, e é ancião, dono de si? Apenas oro a Deus, o Senhor fará segundo a sua vontade. Se eu lutar contra ele será luta contra a carne - e a Obra de Deus é que sai perdendo...

    Apresentarei o irmão em minhas orações, para que o Senhor te guie e ilumine em tudo.

    Deus abençoe a todos!
    Saudações com a Santa Paz de Deus.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O que é a Bíblia?

      Conhecemos a etimologia do vocábulo e suas possíveis designações, mas em matéria eclesiológica, Bíblia não é o livro por qual se paga e sim a mensagem que não tem preço; não é aquilo que compramos, mas aquilo que nos foi dado inspirada e milagrosamente; não é somente o palpável mas também o intangível.

      Bíblia é como nós cristãos nomeamos nos dias atuais as Escrituras Sagradas compostas do Velho e Novo Testamento, referindo-nos diretamente ao texto inspirado ou mensagem revelada por Deus.

      Visto que isto é ponto passivo, algo já concebido e que nunca trouxe conflito de idéias entre os crentes, achei que não fosse necessário discorrer sobre estas definições quando iniciamos nossos comentários e reflexões. Eu estava errado, este deveria ter sido o ponto de partida.

      Os que defendem a redação editada têm se dirigido à Bíblia meramente como um produto gráfico. Já os que preferem a edição original, pronunciamos Bíblia em substituição às Sagradas Letras ou Escrituras Sagradas. Desse modo para eles a Bíblia contém enquanto que para nós a Bíblia é a Palavra de Deus.

      Ora, todas as igrejas cristãs no mundo ao conceituar a Bíblia, o fazem pela concepção teológica, de modo que não há uma única Declaração de Fé em que ao falar da Bíblia, estejam se referindo ao livro, produto ou confecção gráfica. A CCB seria o primeiro grupo religioso a reportar-se à Bíblia dessa forma – pela etimologia em vez da teologia – na sua Declaração de Fé.

      Este racionalismo* é totalmente estranho para todas as Denominações Evangélicas. Sob qual entendimento ou conceito você acha que foi redigido os “PONTOS DE DOUTRINA E DA FÉ QUE UMA VEZ FOI DADA AOS SANTOS”? Maximiliano Tosetto não se referia à encadernação humana e sim à revelação divina quando escreveu: “Nós cremos na inteira Bíblia e aceitamo-la como infalível Palavra de Deus, inspirada pelo Espírito Santo”.

      Lembrando que a CCB não se manifestou oficialmente, esta é apenas a opinião de alguns de seus membros que não acrescentaram ao raciocínio lógico o conceito teológico: A Bíblia (Escrituras Sagradas) é a Palavra de Deus.

      Pelo mesmo motivo, há irmãos que entendem como alusiva, figurada ou metafórica a afirmação de que a Bíblia é, de fato, a Palavra de Deus.

      ‘Bíblia (do grego βίβλια, plural de βίβλιον, transl. bíblion, “rolo” ou “livro”) é o texto religioso considerado sagrado para o cristianismo’. (Wikipédia) – Esta definição não foi extraída de um documento religioso, mas esta no entendimento eclesial e sentido literal.

      Se cremos que as Escrituras Sagradas são verdadeiramente a Revelação de Deus, haveremos de professar que a Bíblia é literalmente a Palavra de Deus.

      Existe a definição usual utilizada pelo homem natural para explicá-la materialmente, e a definição eclesial compreendida pelo homem espiritual para discerni-la espiritualmente.

      Conquanto sua definição comum pode até ser interpretado que a Bíblia contém a Palavra de Deus, mas se torna uma heresia se conquanto sua designação espiritual for feita a mesma afirmativa.

      O conceito que fazemos da Bíblia é também uma doutrina, portanto, é um erro grave defini-la materialmente em questões de fé. A ortodoxia aceita somente uma declaração sobre a Bíblia e seus atributos nos constrange professar:

      A Bíblia é a Palavra de Deus – Inspirada, infalível, inerrante, completa e soberana. Esta é a fé apostólica que uma vez foi dada aos Santos.

      [*racionalismo - s. m. 1. Modo de considerar as coisas, sobretudo as intangíveis ou abstratas, só pelos dados da razão, fazendo abstração de qualquer suposta autoridade; 2.Sistema que pretende fundar os princípios religiosos nos dados fornecidos pela razão.]

      Excluir
    2. Paz de Deus Ir. Alexandre isso é um assunto delicado se dizemos que a Bíblia é a palavra de Deus, afirmamos que Deus é a Bíblia falando e, se dissermos que a Bíblia contem a palavra de Deus ela não esta falando só esta relatando, então a Bíblia sendo a palavra de Deus ela é falada e não dita e, se não dita logo é revelada ou seja conversada no presente em tempo real coisas que aconteceu ou ira acontecer, já não se trata mais de fatos ocorridos é uma conversa presencial falando tudo de todo conhecimento físico, metafisico e espiritual, resumindo é o próprio Deus presente em nossa frente falando com nossa alma através da bíblia.

      Saudai a todos os Ir. com a PDD

      Excluir

Sua participação é sempre valiosa.